Pará busca diversificação e novos investimentos para incentivar economia em 2021

O estado do Pará vai buscar novas formas de fomentar a economia local durante os próximos meses. Além do incentivo à produção no agronegócio, com maior foco em alguns produtos, a região também deve abrir portas para novos investimentos de setores de tecnologia. Essa busca por inovação e diversificação é uma forma de ampliar as alternativas no mercado, e diminuir a dependência da economia local em poucos segmentos.                  

No início deste ano, a Vale confirmou um investimento bilionário que irá fazer nos próximos meses na região Norte do Brasil. Serão mais de US$ 5,8 bilhões injetados na expansão de vários projetos da empresa. Entretanto, apesar do número parecer alto, ele é pouco se comparado com os investimentos que o Pará já recebeu no passado. Em 2011, por exemplo, a região chegou a receber quase US$ 18 bilhões da multinacional.

Isso é visto como sinal de que o Pará precisa buscar uma diversificação maior nos negócios, e assim não depender exclusivamente do investimento feito pela Vale. Essa é a ideia que deve guiar a economia local durante 2021. Um exemplo desse movimento é o investimento em novas tecnologias voltadas para o agronegócio, por exemplo. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater/PA) está utilizando novas tecnologias para melhorar o feijão manteiguinha e expandir a plantação em todo o estado.

Algo semelhante está sendo feito também com o cultivo da pimenta-do-reino, que vem crescendo em toda a região e se transformando em referência nacional. Atualmente, o Pará é o segundo maior produtor dessa pimenta no Brasil. Contudo, não é apenas o agronegócio que está sendo foco de mudanças. Com a nova Lei de Falências, os pequenos e médios empresários também devem ganhar mais confiança em busca de um empreendimento novo. Afinal, a mudança na lei procura ajudar neste ponto.

Em busca de mais capital

Atualmente, a principal fonte financeira do Pará ainda são os royalties com a produção de minério de ferro. Em 2020, o estado viu cidades como Parauapebas e Canaã dos Carajás receberem mais de R$ 1,5 bilhão de arrecadação da Agência Nacional de Mineração. A ideia é manter esse rendimento, mas abrir para novos projetos. Algo que já está sendo feito, e que deve crescer nos próximos meses.

A empresa Energisa, por exemplo, anunciou o investimento de quase R$ 4 bilhões no Brasil em 2021. Cerca de R$ 125 milhões devem ser direcionados ao Pará, o que é uma excelente notícia para a economia local. Entretanto, é na área de tecnologia que o estado precisa dar mais atenção. No ano passado, o crescimento dos mercados virtuais, e de outros serviços 100% online, chamou a atenção do estado. Alguns economistas apontam que o setor deve continuar ditando as regras nos próximos meses.

As novas tecnologias

Uma das principais características das inovações tecnológicas é a diversidade, algo que interessa ao Pará. Setores da educação, da saúde, do entretenimento e de outros campos estão cada vez mais conectados com a internet. Isso mostra que o investimento em novas tecnologias pode gerar resultados de diferentes maneiras. Por exemplo, no caso do entretenimento digital, as plataformas de streaming causaram um grande impacto quando chegaram ao Brasil. Com vários assinantes, essas plataformas criaram um jeito de assistir filmes, ouvir músicas e até mesmo se comunicar, e conseguiram alterar o mercado por completo. Isso também aconteceu com os jogos digitais, principalmente com os novos cassinos online. Essas plataformas mais recentes apostam em jogos novos, sites com designs inovadores e opções temáticas em jogos como a roleta e o blackjack para conquistar os usuários. A popularização desses serviços acabou sendo o resultado do uso dessas inovações.

Isso é apenas no campo do entretenimento digital, que é um dos setores que mais ganhou espaço no Brasil. Se olharmos também para a saúde, por exemplo, é possível perceber que as farmácias online e os aplicativos voltados para médicos estão transformando o setor completamente. Ou seja, a digitalização está ficando popular em diferentes áreas, e isso significa uma variedade de empresas investindo no país.

O objetivo do Pará em 2021 é diversificar a economia local, e fazer isso sem novas tecnologias é algo impossível. Seja no agronegócio ou no entretenimento digital, a verdade é que investir nessas inovações vai fazer com que a economia local fique menos dependente de alguns investimentos. Assim, os paraenses podem buscar novas oportunidades de negócio.

 

Fonte: Pixabay

Avalie este item
(0 votos)
Loading
https://www.carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://www.carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/00.Novo_Projeto_-_2021-09-24T142218530gk-is-100.jpglink