O Pará recebeu, na tarde de terça-feira (11), mais uma remessa de vacinas contra a Covid-19. São 37.440 doses da Pfizer/BionTech. Essa é a vigésima enviada pelo Ministério da Saúde desde janeiro de 2020. No total, o Pará já recebeu 2.297.770 doses, sendo 1.135.240 da CoronaVac, 1.111.050 da Oxford/AstraZeneca e 51.480 da Pfizer. 

“A chegada de mais remessas ao Estado é importante, pois dessa forma vamos avançando a vacinação em todo o Estado. Ressaltamos que é importante que todos fiquem atentos ao calendário de vacinação do seu município e não deixem de tomar a segunda dose, pois só assim é possível completar o ciclo da imunização”, destacou o secretário de Saúde Pública do Pará (Sespa), Rômulo Rodovalho.  

As vacinas chegaram a Belém, e serão encaminhadas à secretaria municipal de saúde da capital. A medida se justifica por ser necessário armazenar os imunizantes em uma temperatura ideal.

“A Sespa viabiliza a campanha junto aos municípios, mas reforça que a população deve continuar fazendo a sua parte sem deixar de lado os cuidados com a higienização das mãos assim como com o distanciamento social”, enfatizou o secretário de Saúde.

Calendário de chegada ao Pará dos lotes de vacinas já enviados pelo Ministério da Saúde:

- 18 de janeiro: 173.240 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 24 de janeiro: 49 mil doses da Oxford/AstraZeneca.
- 25 de janeiro: 29.200 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 06 de fevereiro: 64.400 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 24 de fevereiro: 98.200 doses - CoronaVac/Sinovac - 37.200 doses, e Oxford/AstraZeneca, 61 mil.
- 03 de março: 67 mil doses da CoronaVac/Sinovac.
- 10 de março: 61.600 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 17 de março: 117.400 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 20 de março: 286 mil doses - CoronaVac/Sinovac, 102 mil, e Oxford/AstraZeneca, 184 mil.
- 26 de março: 150.900 doses da CoronaVac/Sinovac (84.800) e Oxford/AstraZeneca (66.100).
- 02 de abril: 234.150 doses, sendo 215.400 da CoronaVac/Sinovac e 18.750 da Oxford/AstraZeneca.
- 09 de abril: 116.200 doses, sendo 52.200 da CoronaVac/Sinovac e 64.000 da Oxford/AstraZeneca.
- 16 de abril: 170.300 doses, sendo 102.500 doses da Oxford/AstraZeneca e 67.800 da CoronaVac / Sinovac.
- 23 de abril: 98.900 doses, sendo 79.500 da Oxford/AstraZeneca e 19.400 doses da CoronaVac/ Sinovac.
- 30 de abril: 148.750 doses, sendo 145.750 da Oxford/AstraZeneca e 3.000 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 01 de maio: 9.400 doses da CoronaVac/Sinovac.
- 03 de maio: 14.040 doses da Pfizer/BionTech e 206.750 da Oxford/AstraZeneca.
- 06 de maio: 133.700 da Oxford/AstraZeneca.
- 08 de maio: 31.200 – CoronaVac/Sinovac.
- 11 de maio: 37.440 – Pfizer/BionTech.

 

Por Caroliny Pinho (SESPA)

Puxado pela escalada da segunda onda de Covid-19 na Índia, o mundo registrou um novo recorde de infectados nas últimas 24 horas: 899 mil novos casos, segundo o projeto "Our World in Data".

O número superou o recorde de 889 mil infectados de quarta-feira (21) e os 880 mil registrados em 7 de janeiro, quando os Estados Unidos passavam pelo seu pior momento da pandemia.

A triste marca foi atingida devido a mais um recorde de casos confirmados na Índia (332 mil), o que torna o país responsável por 37% de todos os infectados nas últimas 24 horas no mundo.

Índia também superou pelo segundo dia o recorde mundial de casos, que até então pertencia aos EUA, e voltou a registrar o seu maior número de mortes desde o início da pandemia (2.263).

 

Colapso na Índia

 

O sistema de saúde entrou em colapso no país, com falta de leitos, remédios e oxigênio nos hospitais. Na capital Nova Délhi, cremações em massa são feitas para dar conta do número de mortes.

O governo indiano atribui a segunda onda ao não uso de máscaras e ao desrespeito ao distanciamento social. Especialistas apontam como causas também uma nova variante e o próprio governo, que comemorou a "fase final" da pandemia em março e tem se recusado a adotar um lockdown nacional.

Nesta sexta-feira (23), um incêndio em um hospital nos arredores de Mumbai matou 13 pacientes com Covid-19. Em Ahmedabad, indianos aguardavam em ambulâncias e até em carros particulares por vagas em um hospital para Covid-19. Em Nashik, mais de 20 pacientes morreram em um hospital após uma interrupção no fornecimento de oxigênio na quarta-feira (21).

Países mais afetados do mundo atualmente:

Casos de Covid no mundo (22 de abril de 2021): 899.831 infectados

 

  1. Índia: 332.921 (37% do total)
  2. EUA: 67.257 (7,5%)
  3. Turquia: 54.791 (6%)
  4. Brasil: 45.178 (5%)
  5. França: 33.445
  6. Alemanha: 31.721
  7. Argentina: 27.216
  8. Irã: 24.092
  9. Colômbia: 19.306
  10. Ucrânia: 16.357

 

ÍndiaEUATurquia Brasil, os quatro países com mais infectados nas últimas 24 horas, foram responsáveis por 55% de todos os novos casos no mundo.

A primeira enfermeira a tomar a vacina da Pfizer nos Estados Unidos recebeu a segunda dose nesta segunda-feira (4) para completar a imunização.

Sandra Lindsay foi vacinada no Centro Médico Judaico de Long Island, no bairro do Queens, no subúrbio de Nova York.

Ela trabalha na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital e recebeu a primeira dose em 14 de dezembro, logo após a vacina ser aprovada.

As duas imunizações foram transmitidas ao vivo pela televisão.

"Não foi nada diferente de tomar qualquer outra vacina", contou Lindsay ao receber a primeira dose. "Espero que isso marque o início do fim de um período muito doloroso de nossa história".

A enfermeira fez questão de reforçar que a vacina é segura. "Estamos em uma pandemia e, portanto, todos precisamos fazer nossa parte."

Com mais de 20 milhões de casos e 350 mil mortes, os Estados Unidos são o país mais afetado do mundo pelo novo coronavírus.

Vacinação no Reino Unido

Também nesta segunda-feira (14), o Reino Unido se tornou o primeiro país do mundo a utilizar a vacina de Oxford, desenvolvida em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, fora dos estudos clínicos.

Os britânicos foram também os primeiros do mundo a aprovar o uso emergencial do imunizante da Oxford.

Parauapebas contabiliza mais 29 casos de Covid-19 nesta quinta-feira, 7, destes, a confirmação de 3 óbitos de pacientes que faleceram com a suspeita da doença.

1 -Homem de 64 anos, diabético. Faleceu no dia 03/05 no HGP.

2 -Homem de 85 anos, cardiopata. Faleceu em 05/05 na UTI do HGP.

3 -Mulher de 73 anos, cardiopata. Estava internada no HGP e veio a óbito no dia 02 de maio.

4 -Homem de 52 anos. Internado.

5 -Homem de 59 anos, doença hepática. Internado.

6 -Homem de 67 anos. Internado.

7 -Mulher de 50 anos. Internada.

8-Mulher de 85 anos, diabética e cardiopata. Internada.

9-Mulher de 32 anos. Internada.

10 -Homem de 36 anos, asmático. Internado.

11 -Mulher de 56 anos, diabética. Internada.

12 -Homem de 33 anos. Internado.

13 -Homem de 50 anos, asmático. Internado.

14 -Homem de 44 anos. Internado.

15-Mulher de 31 anos, gestante. Internada.

16-Mulher de 30 anos. Internada.

17-Mulher de 28 anos. Em isolamento domiciliar.

18-Homem de 29 anos. Em isolamento domiciliar.

19-Homem de 43 anos. Em isolamento domiciliar.

20-Homem de 26 anos. Em isolamento domiciliar.

21-Homem de 28 anos. Em isolamento domiciliar.

22-Homem de 26 anos. Em isolamento domiciliar.

23-Homem de 34 anos. Em isolamento domiciliar.

24-Homem de 31 anos. Em isolamento domiciliar.

25-Homem de 38 anos. Em isolamento domiciliar.

26-Mulher de 28 anos. Em isolamento domiciliar.

27-Homem de 32 anos. Em isolamento domiciliar.

28-Mulher de 30 anos. Em isolamento domiciliar.

29-Homem de 38 anos. Em isolamento domiciliar.

29-Homem de 38 anos. Em isolamento domiciliar.

Assessoria de Comunicação/PMP

Loading
https://www.carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://www.carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Azulzinhogk-is-100.pnglink
https://www.carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Novo_Projeto_-_2021-07-05T111350990gk-is-100.jpglink